Blog

web, propaganda, publicidade, marketing, audiovisual
  • Razões para investir em SEO

    Hoje existem milhares de pessoas na Internet realizando buscas, onde muitas delas estão procurando exatamente o que você vende ou oferece. O processo de posicionar o seu site no topo dos resultados dos mecanismos de busca é conhecido como SEO (Search Engine Optimization). O SEO tem provado que é um dos mecanismos de marketing mais eficientes quando se fala em custo-benefício.

    Quando se fala em investimento, seja para uma empresa ou para um autônomo, a primeira coisa que se pergunta é: “O que eu ganho com isto?”. No ramo de SEO não é diferente, podendo listar alguns ganhos bem evidentes:

    • Ganho de visitas, pois com o trabalho de SEO um maior número de palavras-chave são trabalhadas e o posicionamento das mesmas tende a melhorar nos mecanismos de busca. Isto faz com que o seu website seja mais acessado através dos usuários dos mecanismos de busca;
    • Aumento de vendas, uma vez que se tenha uma estratégia de ganho de visitantes e, esta estratégia funcione, os número de usuários que vêem seus produtos e/ou serviços é maior, possibilitando um maior número de vendas;
    • Análise do Retorno sobre o Investimento (ROI), o uso de ferramentas de análise do tráfego do seu website e monitoramento de vendas pode lhe indicar perfeitamente qual o seu ROI e se sua estratégia deve ser focada mais em uma determinada palavra-chave.

    Entre os pontos colocados, o que mais destaca o SEO entre os planos de investimento é o ROI. Diferentemente de outras mídias antigas, o SEO é totalmente mensurável, uma vez que pode-se analisar quais palavras-chave convertem mais, qual link resulta em mais visitas, qual parceiro provém os usuários que mais convertem. Este tipo de dado é muito importante quando se deseja criar uma estratégia de sucesso.

    Outro pilar de sustentação para o investimento em SEO é que as empresas brasileiras descobriram(ou estão descobrindo) os Links Patrocinados como um excelente meio de divulgação de seus serviços, mas o que elas não sabem é que os resultados orgânicos possuem um maior número de cliques. Conforme um estudo conduzido pela Enquiro Research, os resultados orgânicos possuem uma taxa de cliques bem maior que os resultados de Links Patrocinados.

  • Como o Google posiciona um site

    É muito importante observar essas características para fazer uma boa otimização em seu site.

    1. É o buscador que melhor determina se um link é confiável ou artificial: Através de seus algoritmos consegue determinar o nível de confiança de um link dizendo se este é confiável ou não.
    2. Prefere um crescimento natural de links ao longo do tempo: Se um site consegue muitos links rapidamente e esses links são “não-confiaveis”, existe uma probabilidade maior de o site ser penalizado.
    3. Dá importância ao tempo de “vida” do site: O tempo que seu site está ativo é um dos fatores para posicionamento, pois ajuda a aumentar a confiança em seu site.
    4. Dá importância à variações da palavra-chave trabalhada na página: Com o uso de várias palavras-chave relacionadas, seu site será melhor posicionado do que usando apenas uma, pois abrangerá um nicho de mercado maior.
    5. Dá importância à variação de texto na âncora dos links: Mesmo caso do item anterior.
    6. Atribui maior peso a links inseridos dentro de textos: Os links no meio do texto têm maior valor do que aqueles colocados em menus ou nos rodapés da página.
    7. Efetivo para determinar conteúdo duplicado: O Google consegue determinar conteúdo duplicado por isso tome cuidado.
    8. A freqüência de indexação do site é determinada por uma valor mínimo de PageRank e pela qualidade dos links que seu site recebe.

    Essas são algumas das características de como o Google posiciona um site, porém existem muitas outras e a cada dia elas sofrem inovação.

  • Site não aparece no Google

    Um crawler não vê uma página de internet como nós, como são programas de computadores, eles lêem e analisam apenas o código-fonte da página, para se ter uma idéia de como um crawler vê sua página é recomendado o uso de um navegador em formato de texto (Lynx), ou então desativar os CSS da página (no Firefox: Exibir > Estilos da Pagina > Nenhum Estilo ).

     

    O erro que muitos cometem é fazer um site muito bonito para o usuário sem se preocupar com os crawlers. Se um crawler não conseguir ler corretamente seu site, então ele não irá indexar suas páginas e seu site não aparecerá bem nos resultados de busca.

    As principais dicas para se fazer um site acessível aos crawlers:

    • Evitar o uso de Flash;
    • Não usar Frames;
    • Colocar Título e Meta-Tags em todas as páginas;
    • Usar nomes descritivos nos arquivos;
    • Ter um menu acessível;
    • Usar links em formato texto com keywords na âncora;
    • Usar as Tags h1, h2, h3;
    • Usar sempre a tag “alt” em imagens;

    Evitar o uso de Flash

    Os crawlers ainda não são capazes de ler completamente os conteúdos de arquivos flash, portanto é melhor não colocar conteúdos do seu site em flash;

    Não usar Frames

    Os crawlers não tem muita facilidade em navegar por páginas com frames, algumas vezes ao invés de ler o conteúdo só recebem uma mensagem de erro e então acabam indexando apenas esta mensagem.

    Colocar Título e Meta-Tags em todas as páginas

    Todas suas páginas devem conter a tag “Title” e as Meta-Tags “Keywords” e “Description”. Os crawlers usam estas tags para saber o assunto de página. Um exemplo de cabeçalho de uma página HTML:
    <head>
    <title>Título da pagina</title>
    <meta name="description" content="Uma breve descrição da pagina"/ >
    <meta name="keywords" content="algumas palavras-chave relacionadas à pagina"/ >
    </head>

    Usar nomes descritivos nos arquivos

    Embora ainda à discussões sobre a importância de se ter keywords na url de uma página, recomendo usar nomes de arquivos descritivos para as páginas, por exemplo:
    Se uma página de seu site fala sobre Design e outra sobre SEO, é melhor termos páginas com nomes: design.html e seo.html ao invés de pagina1.html e pagina2.html.

    Ter um Menu acessível

    Se seu site possuir um menu em flash ou então javascript que o crawler não consegue ler, então ele não conseguirá navegar pelo seu site, e assim não poderá indexá-lo completamente, portanto é imprescindível usar menus que possuem links em formato de texto.

    Usar links em formato texto com keywords na âncora

    É importante que os links sejam em texto para termos a garantia de os crawlers conseguirem lê-los, outro ponto importante é usar textos descritivos no link, ao invés de usar âncoras como “Clique Aqui” ou imagens, mas isso aprenderemos melhor em artigos sobre linkagem.

    Usar as Tags h1, h2, h3

    É muito importante usar as tags h1, h2, h3… para estruturar suas páginas, subdividindo-a em seções e sub-seções, pois os crawlers dão maior relevância para os títulos e sub-títulos do que para o texto.

    Usar sempre a tag “alt” em imagens

    Como os crawlers ainda não conseguem ler o conteúdo de imagens, é sempre bom colocar uma breve descrição da imagem em sua alt tag, exemplo:
    <img src="/imagens/urldaimagem.jpg" alt="descrição da imagem" />.

    Bom pessoal, essas são as principais dicas para se fazer um site mais acessível para os crawlers. É importante fazer um site com beleza e usabilidade para o usuário e acessibilidade para o crawler. Por isso é muito usado hoje o CSS, mas isso fica para outros posts.

  • Page Rank

    PageRank (PR) é um valor numérico calculado a partir do número de links e da importância que estes representam quando levados a uma determinada página. No sistema de buscas do Google links representam votos sendo o PageRank o resultado do cálculo de uma família de algorítmos.

    Qual é a Escala do PageRank?

    O PageRank varia entre valores naturais de 0 a 10, na verdade essa afirmação é dada aos valores que são disponibilizados pelo Google para os usuários, mas numa escala do Google esses valores possuem várias casas decimais, ou seja, um website pode ter um PageRank 4,2343 sendo este valor arredondado para 4 no momento da visualização pelo usuário. O valor do PageRank varia numa escala logaritmica, ou seja, se sua página possui PageRank 1, subir para o próximo nível não exigirá tanto esforço, mas para sair de um PageRank 4 para um PageRank 5 você precisará de um trabalho muito mais complexo.
    O Sistema de PageRank é usado pelo Google para ajudar a determinar a relevância ou importância de uma página. A Qualidade da página que possui links para um determinado website é um fator de extrema importância.

    Importância de um PageRank Alto

    Podemos dizer que o PageRank é um dos principais fatores considerados pelo Google para posicionar um website dentro de seu mecanismo de busca. É muito importante um website possuir links externos de qualidade seguindo para o seu website, sinal que o website possui conteúdo interessante. Quanto maior for seu PageRank é sinal de que mais pessoas linkam para você possívelmente através de conteúdos relacionados ao conteúdo do seu website.

    O Pagerank é igual dentro do website inteiro?

    O valor do PageRank varia para cada uma das páginas dentro do website. Normalmente a página principal do site é a que possui um maior pagerank por receber a maior concentração de links.

    Como são distribuidos esses valores?

    Cada página do website terá uma certa quantidade de links dentro dela, e cada um desses links levará uma parcela do valor PageRank para a página linkada. É importante ressaltar que esse valor enviado é um voto, ou seja, o PageRank da página que linkou NÃO é reduzido. Esse sistema segue dentro do website inteiro, ou seja uma página que possuir mais links pra ela dentro do seu website, terá uma relevância maior diante das outras. Isso é o que chamamos de distribuição interna de Pagerank de um website.

    Qualidade de Links

    É muito importante que os links que seguem para o website sejam de páginas com qualidade. De nada adianta ter milhões de links de páginas sem nenhuma credibilidade, e sem conteúdo relevante. Links de diretórios são importantes, mas somente se os diretórios forem de qualidade, ou seja, não adianta usar softwares free que cadastram em 10 milhões de diretórios que isso pode prejudicar o seu website. O link terá muito mais relevância se o assunto da página que linkar for relacionado ao assunto de seu website.

    Quem Desenvolveu?

    O Sistema de PageRank Foi desenvolvido em 1998 pelos fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin enquanto estes cursavam a Universidade de Stanford.

    Considerações Finais

    É muito importante que no momento da construção de um website um planejamento levando em conta a linkagem interna deste seja realizado antes. A sua estrutura de linkagem interna deve ser robusta a fim de que a distribuição de links internos seja feita de maneira correta e suas páginas importantes ganhem a relevância esperada para os motores de busca. Faça um conteúdo interessante que possa servir de base para outros websites, assim você ganhará links naturalmente. Cadastre em diretórios de credibilidade, e faça uma campanha de marketing e bookmarking em lugares que possam ajudar a você ganhar links de qualidade.

  • Boas práticas de SEO

    Faz muito sentido para as empresas de e-commerce terceirizarem serviços de otimização de mecanismos de busca (SEO) a empresas especialistas nesse assunto. Afinal, as ferramentas de SEO utilizadas são altamente técnicas e o know-how é bem específico.

    O número de empresas que prestam esse serviço teve um aumento de 45% nos últimos anos mas, no entanto, é necessário ter muito cuidado com o tipo de empresas que prometem resultados impressionantes em pouco tempo, contando com a falta de conhecimento dos clientes sobre esse assunto.

    Por isso, elaborei um guia com pontos importantes para serem levados em consideração na hora de contratar uma empresa especializada em SEO.

    Primeiro sinal: Promessas que são boas demais para ser verdade

    Tome muito cuidado com empresas que garantem primeira posição no resultado dos buscadores . O próprio Google adverte no seu guia de marketing de busca que ninguém pode garantir primeira posição no buscador. Existem ainda empresas que prometem esse resultado em 30 dias!

    As mais sérias do ramo não fazem esse tipo de apelo ou qualquer outra promessa que parece boa demais para ser verdade.

    Segundo sinal: Uso de técnicas de “segunda mão”

    Para conseguir posicionar o site de uma empresa nas primeiras posições, algumas companhias utilizam técnicas para enganar os mecanismos de busca, práticas não recomendadas pelo Google, que podem afetar, a longo prazo, a sua empresa.

    Técnicas “destrutivas” como lotar as páginas com palavras-chave, sem a intenção de criar conteúdo de valor para os usuários ou usar textos “invisíveis” (palavras brancas sobre o fundo branco) são alguns exemplos dessas técnicas de “segunda mão” que podem resultar em uma penalização e prejudicar a reputação das empresa.

    Terceiro sinal: Direcionar tráfego irrelevante para os sites

    Uma melhora no posicionamento do site ou aumento do fluxo de visitantes não representam necessariamente o sucesso da estratégia de SEO. Para avaliar se a empresa foi realmente eficaz você precisa verificar quanto, de fato, o trabalho de SEO gerou mais negócios.

    Algumas métricas interessantes que deveriam ser levadas em consideração seriam a geração de novos leads, vendas, taxa de conversão e até mesmo o tempo que o usuário gasta no site.

    Quarto sinal: Criar conteúdos de baixa qualidade

    Quando se trata de SEO, criar conteúdo relevante e útil para os leitores é essencial para se ter um bom resultado. Algumas consultorias não profissionais podem recomendar algumas práticas como copiar conteúdo de sites bem posicionados, postar comentários falsos de clientes supostamente satisfeitos ou criar conteúdo exclusivamente com palavras–chave repetidas. Especialistas apontam que devemos evitar esse tipo de empresa para o bom andamento dos negócios.

    Quinto Sinal: Oferecer um serviço único, sem manutenção

    Tenha em mente que o SEO não é um projeto pontual e sim um processo contínuo. O conteúdo deve ser constantemente atualizado e as estratégias modificadas de acordo com a tendência de mercado e métricas de performance. Inclusive, os mecanismos dos buscadores têm seus algoritmos constantemente modificados, gerando flutuações no posicionamento dos sites.

    É necessário que a sua empresa tenha um relacionamento de longo prazo, uma boa comunicação e comprometimento com quem presta consultoria em SEO para você. Se você não estiver conseguindo ter esse tipo de abertura, creio que está na hora de procurar um novo parceiro.

  • Consumidores usam Redes Sociais para buscar informações da marca

    Em estudo recente realizado pela agência Fleishman-Hillard, foi traçado o comportamento do consumidor na internet. De acordo com o levantamento, 79% dos entrevistados afirmam buscar  em redes sociais, como Twitter e Facebook, mais informações sobre a marca; enquanto 76% vão atrás de descontos; 73% querem novidades exclusivas; 69% desejam passar feedbacks positivos; e 67% apenas compartilhar conteúdo.

    Para Ricardo Grandinetti, gerente de produtos da LikeStore, o perfil do consumidor digital nas redes sociais propicia a utilização de plataformas voltadas ao social commerce. “Quem está cadastrado no Facebook, por exemplo, não está atrás de desconto, mas sim buscando saber a procedência de um produto em questão. Esta é a essência do comércio social, que facilita a compra e venda através da curadoria dos próprios amigos”, afirma o executivo.

  • 20 ferramentas para SEO

    1. Analizador de Meta-Tags: Uma ótima ferramenta para você avaliar se suas KeyWords/Meta-Tags estão bem selecionadas e otimizada para os buscadores.
    2. Verificador de Velocidade da Página: Para um site ser bem otimizado, sua velocidade conta muito. Esse site mostra todos os arquivos carregados em sua página.
    3. Verificador de PageRank: Pagerank é uma das formas do Google avaliar seu site/blog, então essa ferramenta mostra qual seu pagerank.
    4. Gerador de SiteMap: Já falei inúmeras vezes aqui a importância de ter um sitemap de seu site, essa ferramenta cria o sitemap completo
    5. Pagerank Futuro: Este site avalia seu site e verifica qual será seu pagerank futuro, com uma porcentagem de acerto.
    6. Verificar BackLinks Yahoo: Verifique a quantidade e quais são seus backlinks ou links que apontam para sua página.
    7. PageRank em diferentes DataCenter: Como você sabe o Google tem vários datacenters ou centro de informação, com essa ferramenta você poderá o seu pagerank em diferentes datacenters.
    8. Posição nas Pesquisas Google: Verifique a posição exata em que seu site está colocado nas pesquisas do Google.
    9. Idade da Página: A idade de um blog/site também é importante, pois traz credibilidade. Com esta ferramenta você poderá checar a quanto tempo seu site está no ar.
    10. Gerador de Meta-Tags Avançado: Com esta ferramente você poderá gerar meta-tags para seu site/blog.
    11. Posição nas Pesquisas Yahoo!: Da mesma forma que no Google, verifique a posição exata de seu blog nas pesquisas do Yahoo.
    12. Verificador de BackLinks: Veja todos seus BackLinks, detalhados de página por página.
    13. Verificador de Página Banida Google: Verifique se sua página foi banida por algum motivo no Google.
    14. CopyScape: Verifique se alguem está copiando seu conteúdo.
    15. FireFox SEO: Uma ferramenta completa de SEO em seu browser. É um simples plugin que você instala e pode gerar relatórios de sites no momento.
    16. Densidade de Palavras-Chave: Verifique a densidade das palavras-chave em seu blog.
    17. Verificador de Quantidade de Pesquisa de palavras-chave: Veja a quantidade de visitas em que uma palavra é pesquisada no Google e se for o caso, o preço do anúncio no adwords.
    18. Verificador de Páginas não Existentes: Muitas vezes por descuido, acabos por esquecer algumas páginas, então essa ferramente verifica quais páginas estão inexistentes.
    19. Guia Prático de SEO feito pelo Google: Uma apresentação em PDF, que foi criada pelo Google para ensinar o básico de SEO aos novatos.
    20. Verifique BlackHat em site: Muitas pessoas são punidas no Google e não sabem porque. Essa ferramenta verifica algumas técnicas de BlackHat ou ações que você não deve fazer.
  • Os erros mais comuns em E-mail Marketing

    Enviar apenas imagens como conteúdo

    O problema de enviar apenas imagens como conteúdo é que boa parte dos serviços de email usam como padrão atual o bloqueio de imagens. Exigir um passo a mais para a visualização da mensagem (clicar na autorização para exibir imagem) antes mesmo que as pessoas saibam qual é o conteúdo não vai ajudar em nada na conversão.
    A solução é usar um código HTML e somente as imagens necessárias (sempre usando o atributo alt, que funciona como uma legenda quando a imagem não é exibida).

    Não escolher bem o assunto da mensagem e do remetente

    Há quem diga que o mesmo tempo que se leva na produção de um texto deve ser gasto na elaboração do título. Com o excesso de informações a que temos sido submetidos, isso tende a se agravar cada vez mais.
    Diariamente temos uma infinidade de posts, tweets e e-mails pra ler e precisamos fazer algum tipo de filtragem. Normalmente são os títulos (no caso dos emails, os assuntos) que servem de base para essa seleção. Se o assunto não for atrativo, mesmo que o conteúdo seja de extrema qualidade, dificilmente chegaremos até lá.
    Vale se atentar também para o uso do nome do remetente da mensagem. Muitas empresas usam apenas “marketing”, “nao-responda” e outros tipos de nome que não agregam em nada. Se a pessoa que recebe já tem confiança na sua empresa, exibir o nome da empresa pode tornar a mensagem mais atrativa.

    Escolher conteúdo irrelevante

    Nosso último envio de e-mail marketing teve uma taxa de abertura de mais de 40% e dentre os que abriram, mais de 56% clicou no link que divulgamos. É um número consideravelmente acima da média da indústria. O motivo para nós é claro: conteúdo!
    A base de assinantes poderá ser um ativo de grande importância para sua empresa, desde que bem trabalhada. O email oferece um contato mais profundo que as mídias sociais e pode ser muito útil na construção do relacionamento. Por isso, evite a autopromoção constante e pense em ser relevante para quem recebe.

    Não medir corretamente os resultados

    Há quem credite o resultado de uma ação de email marketing às taxas de abertura. O primeiro erro é que a contagem da taxa de abertura é feita pelo carregamento de uma imagem, ou seja, se o usuário abriu o email, mas não autorizou a exibição de imagens
    (como mencionada no primeiro item), as ferramentas consideram que o email não foi aberto. Logo, essa informação não é muito precisa.
    O segundo erro é que sua empresa não sobrevive de pessoas lendo seu email. É preciso avaliar o quanto elas realmente realizaram a conversão na ação que sua empresa gostaria (baixar um e-book, realizar uma compra, se cadastrar para uma palestra, etc.).

  • SEO e E-mail Marketing

    SEO (Search Enginee Optimization) é a arte de posicionar uma página e fazer com que seu site torne-se referência em um determinado assunto ao ser procurado. Já o e-mail marketing é uma ferramenta especializada em relacionamento digital, início de conversa, além de manter contatos com determinada periodicidade.

    Existem diversas formas de fazer a integração das duas ferramentas, possibilitando que o SEO atue junto ao e-mail marketing. Dessa forma, relacionamos algumas dicas de como utilizar o SEO em campanhas de e-mail marketing e tirar o máximo de proveito:

    – Conteúdo é tudo: Um dos pilares do SEO é o conteúdo. E o material dentro do e-mail marketing deve ser extremamente bem elaborado, levando relevância, diferencial e qualidade ao material apresentado. Além disso, faça uso das palavras-chave desenvolvidas para seu negócio.

    – Direcionamento: Leve o leitor do e-mail marketing para dentro do seu site. Dessa forma, irá contribuir significativamente para melhorar seu posicionamento e presença online.

    – Publique o material: Publique o conteúdo disparado na campanha em blogs, sites e compartilhe-o nas redes sociais, principalmente se for newsletters. Essa ação permitirá apresentar de forma mais constante as campanhas, gerando assim mais links para apoiar o trabalho de SEO.

  • Por quê não criar sites em Flash

    Algumas semanas atrás tivemos uma publicação de que o Google indexa sites em Flash. A Adobe lançou um novo Flash player específico para as search engines e agora ele está sendo usado pelo Google (o Yahoo está trabalhando para isso também).

    É extremamente importante que as search engines trabalhem o máximo para conseguir ler toda a informação dos sites, e não somente o texto. Mesmo assim, isso não significa que todos os sites construídos em Flash passarão a rankear bem para todas as buscas e que não precisam de SEO.

    Impotância do Conteúdo

    Mesmo que o texto seja indexado, não podemos dizer que a maioria dos sites em Flash que temos por aí incluem tanto texto assim, o que é o primeiro problema. Embora haja muitas formas das search engines classificarem uma página como sendo sobre determinado assunto, o conteúdo dela com certeza tem um peso muito grande.

    Desvantagens em relação ao HTML

    Outro ponto, é que esse texto não estará tão bem organizado como em um arquivo HTML, onde temos tags (h1, por exemplo) para dar destaque a algumas partes do texto e dizer à search engine sobre quais assuntos nossa página está tratando. Uma página em Flash tem essa desvantagem.

    Links

    Digamos que o site já tem bastante texto, está bem dividido em categorias com assuntos e tudo mais. Se estiver tudo em um mesmo arquivo Flash e tudo na mesma página HTML, você vai ter só uma URL apontando para todo seu site, o que torna impossível que determinada área do seu site apareça nos resultados.

    O que você pode conseguir é que sempre que alguém buscar por alguma das diversas keywords existentes no seu site e separadas em áreas diferentes, você apareça nos resultados para algumas delas, mas sempre com um link para sua página principal. Trazendo confusão para o usuário, que pode desistir de clicar no resultado do seu site, pois não sabe se realmente aquela index vai levá-lo ao assunto sobre o qual ele quer saber, assim como para a search engine, que mostrou seus resultados dessa forma justamente pela confusão causada.

    Sem falar nos problemas que o usuário terá para enviar esse conteúdo para alguém, divulgar seu conteúdo em algum social bookmark ou mesmo favoritar aquela página em seu navegador.

    Concluindo, é um passo importante que as ferramentas de busca tenham melhorado sua interação com esse tipo de tecnologia, e isso deve acontecer com muitas outras mais, mas não podemos ficar com a falsa idéia de que ela está perfeita e por isso não é necessário nenhum esforço no sentido deotimização de site.

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5